quarta-feira, 15 de junho de 2011

Dia de Santo Antônio de Pádua

Dia 13 de junho, dia de Santo Antônio de Pádua, feriado municipal para  os católicos campanhenses festejarem seu padroeiro. Nos dias antecedentes aconteceu na Catedral Santo Antônio, a bonita e piedosa Trezena. Cada dia um padre da diocese explanando um tema sobre a vida do Santo. 

A procissão dia 13, logo após a Santa Missa, presidida por nosso Bispo Dom Diamantino, contou com a participação da Banda da EsSA ( Escola de Sargentos do Exército Brasileiro, de Três Corações). Não poderia deixar de mencionar que as músicas católicas foram executadas de forma impecável pelos militares. Bom lembrar que não houve custos para a Igreja. É o Exército Brasileiro homenageando o grande santo e Doutor da Igreja. 
Com esta apresentação também podemos concluir que nada é insubstituível. Infelizmente nossa Corporação Musical que durante tantos anos tocou em eventos da Igreja, aliás foi criada por Dom Inocêncio com este propósito, hoje só pode fazê-lo se receber cachê.

Fotos: Professora e catequista Fernanda Bernardes.

Texto: Giovani Rodrigues Arantes

37 comentários:

  1. isso é lástimável mesmo!!!
    Liliane Bianchi

    ResponderExcluir
  2. Giovani....não é bem assim...meu pai faz parte da corporação e pelo que sei a questão não é somente pelo cachê e sim pela falta de educação de alguns membros da paróquia....

    ResponderExcluir
  3. Lastimável é saber que a Prefeitura de Curitiba proibiu, para "não atrapalhar" a feirinha do Largo da Ordem, que a histórica Igreja do Largo da Ordem (cerca de 1780) de tocar os sinos. Ora, a cidade começou nos entornos dessa Igreja! E além, do mais, o que ocorre é o inverso: o barulho da feira é que atrapalha as missas.

    ResponderExcluir
  4. Ana Ribeiro Reis Nunes17 de junho de 2011 15:59

    que chato..!

    ResponderExcluir
  5. Juliete, sei que o Darci faz parte da Corporação há anos. A história que sei é que a ex-Corporação Dom Inocêncio, hoje Walter Sales, não tocaria na Semana Santa porque deu um preço. A Paróquia não tinha como pagar. Penso que o Padre Marquinho Iabrudi nem deve ter convidado a Corporação para a procissão de Santo Antônio por este motivo. A Banda da EsSA não cobra nada e não deixa nada a desejar, certo? Sabemos muito bem das dificuldade financeiras que passa, não? Quanto a falta de educação de paroquianos, poderia esclarecer? Não estou sabendo de nada.

    ResponderExcluir
  6. Rafael, a "catolicofobia" está na moda...

    ResponderExcluir
  7. Igson Mendes da Silva17 de junho de 2011 16:02

    Que penas hoje isso se torne normal....os valores do evangelhos estão sendo invertidos !!!

    ResponderExcluir
  8. Só mais uma coisa pra colocarmos um ponto final..... Infelizmente SANTO DE CASA NÃO FAZ MILAGRE....Prefiro não comentar mais nada....

    ResponderExcluir
  9. ok, Juliete. O blog O Campanhense está à disposição para qualquer esclarecimento por parte da Corporação. Basta comentar na postagem.

    ResponderExcluir
  10. Boa Noite meu caro amigo Giovani, dizer que a Banda da EsSa não cobra nada...., eles vivem par isso e ganham muitissimo bem, para apenas fazer o que fazem e sem duvida fazem muito bem!!! Já viu algum músico da EsSA em guerra??? E eu estava lá no dia de Santo Antonio vendo eles tocarem....

    ResponderExcluir
  11. Marco Antônio Amorim17 de junho de 2011 16:04

    Gente, tenho a ideia que, por algum motivo a Banda Walter Sales não foi convidada ou preferiu não tocar, certo? Penso que é uma grande besteira ficar levantando hipoteses.... Ambos os lados tem seus motivos, muitas vezes as coisas não depende de apenas um sim ou não, principalmente quando se trata de uma grupo. Qto a banda da ESsa, concordo com o Hamilton, na sua maioria é composta por sargentos e oficiais e realmente ganham um excelente salário para participar da mesma, que por sinal é uma das melhores.

    ResponderExcluir
  12. Marco Antônio Amorim17 de junho de 2011 16:05

    Só pra terminar, imaginem a Nossa Banda Walter Sales composta por musicos profissionais, não teria pra nunguém. Meu amigo Hamilton é um dos maiores colaboradores da Banda e sabe o sucesso que a banda faz com suas andanças.

    ResponderExcluir
  13. Marco Antônio Amorim17 de junho de 2011 16:06

    Qdo disse que a Banda da ESsa na sua maioria é composta por sargentos e oficiais, quiz dizer que o restante é soldado.

    ResponderExcluir
  14. É uma pena. Acho que deveriam, no mínimo, pagar um cache descente para os músicos da cidade. Estes, dedicam anos à fio, e ainda devem apresentar-se gratuitamente? Isso é justo??? Não acredito que seja uma atitude honesta, explorar o trabalho desses profissionais. É uma obrigação, acredito eu, da Prefeitura municipal através da secretaria de cultura.

    ResponderExcluir
  15. A prefeitura apóia carnaval com aluguéis caríssimos de sonorização (equipamentos da empresa do próprio prefeito, isso soa extranho, certo?), trios elétricos caríssimos e muita baderna. Porque não investir em um evento religioso???? Quem sabe a resposta esteja no retorno financeiro e popular que os eventos proporcionam.

    ResponderExcluir
  16. Hamilton, quando disse que os militares vieram tocar de graça, é porque não cobraram cachê. Evidentemente que nem poderiam, afinal são servidores públicos em exercício. Mas poderiam muito bem não ter aceito o convite.

    Devem sim fazer o melhor, como fazem os militares que honram a pátria. Bem diferente de muitos agentes políticos que vemos por aí. Ganham para fazer o melhor, mas não honram sua posição de representantes do povo. Sabe muito bem que não é o seu caso, meu caro. hehe Falo dos grandões de Brasília e BH. Por isso sou totalmente contra agente político receber Moções de Aplauso por bem exercer sua função. Tem um político aqui em Campanha que já recebeu tantas que deve ter entupido a sala de sua casa. E se fez bem feito, não fez mais que a obrigação.

    Da mesma forma que não é correto os militares receberem para se apresentar, não acho certo amadores receberem cachê. Deveriam então profissionalizar a banda. Aí ficaria tudo dentro dos conformes.

    ResponderExcluir
  17. Marco Antônio, será que se fossem convidados iriam tocar? Na Semana Santa queriam receber da Paróquia, que anda sem recursos. A Prefeitura não deve ajudar, pois o "Estado é laico" (esquecem os simpatizantes do laicismo, que o povo que eles representam, não é). (abrindo outro parenteses: laico mas facilitou a aquisição de terreno público para o Centro Espírita...) (mais um parenteses: laicismo,na verdade só quando se trata de Igreja).

    Mas o que não entendo é que nas proximidades da Semana Santa a Corporação foi beneficiada com uma verba municipal no valor de cinco mil reais. Segundo um membro da banda, eles estão com instrumentos novinhos, que receberam do Estado. Se são amadores, por que motivo insistiram tanto em receber cachê?

    Nunca duvidei da qualidade dos músicos, ao contrário. Só que nos eventos religiosos, eles tem a oportunidade de se apresentarem para um grupo muito maior do que para meia dúzia de gatos pingados em eventos tipo Dia dos Namorados, Dia das Mães ou "inauguração" de algum veículo usado entregue ao povo (?) pela prefeitura.

    Agora me diz: quando tocam brilhantemente em outras cidades, eles recebem cachê? Ou tocam por prazer, como deve fazer um amador?

    Apresentaram na Praça no Dia dos Namorados. Foi de graça ou a Prefeitura (ou alguma instituição/comércio) bancou?

    ResponderExcluir
  18. Luciano, penso ter respondido a algumas de suas indagações nas postagens anteriores.

    A briga por cachê deve ser entre a Banda e o Executivo. Não acho justo ficarem caindo em cima da Paróquia. Na Semana Santa, por exemplo, muitos defensores da cultura cairam a pau. Só que a maioria destes paladinos, nem são verdeiros católicos. Como católico ortodoxo, posso te garantir que a Corporação não fez falta nenhuma. Como eu, tem muita gente que adora rezar o Santo Rosário nas procissões. Com a Banda, a reflexão evai-se. Sem a Banda foi bem melhor para quem realmente saiu de casa com o intuito de rezar.

    Teremos uma festa de entrega do calçamento do Bairro Santa Tereza neste final de semana. Seria uma boa opção, ao invés de contratar músicos de fora, PAGAR a Corporação para fazer a animação. Deixaria o dinheiro público aqui mesmo em nossa cidade.

    ResponderExcluir
  19. eu sempre toquei em festas em campanha em troca de pastel , (pimenta nos olhos dos outros é refresco kkk)

    ResponderExcluir
  20. Falei que não comentaria mais nada...mas não posso ficar quieta, diante de tantos absurdos escritos aqui....desculpe-me pela franqueza.
    A Prefeitura ajuda e muito. Todas à vezes que a Corporação é convidada a ir tocar em outras cidades, disponibiliza ônibus para todos os membros e familiares(eu mesma já fui em algumas apresentações e sempre fomos muito bem recebidos). A Câmara Municipal sempre os ajuda, a alguns anos atrás o vereador (hoje vice-prefeito) Hamiltom Rezende os presenteou com o "uniforme" para toda Corporação e estes acabaram de ganhar, novamente da Câmara "uniformes" novos.

    ResponderExcluir
  21. Boa noite !!! Eu gostaria de manifestar sobre essa polêmica sobre os músicos da banda de SR Valter SALES . Porque não começar a formar novos músicos? Ter uma conversa franca com eles e cada um ceder um pouco ? fico triste com a noticias de que a Semana Santa não foi brilhante , pela ausência dos musico . Vamos unir mais pensando nos Campanhenses e visitantes, assim seremos todos felizes .Um grande abraço

    ResponderExcluir
  22. Juliete, não precisa se desculpar. Estamos dialogando e cada um defendendo seu ponto de vista. Estamos nos respeitando e trocando idéias. Isso é bom.

    Você está dizendo que a Prefeitura e Câmara ajudam. Muito bem. Mas pagam cachê? Não! Ajuda com viagens e uniforme. Uniforme novo, instrumentos novos. Mais 5 mil que o prefeito doou há alguns meses. Então porque, sendo amadores, quiseram cobrar para tocar na Semana Santa? Esta é a questão.

    Nas viagens não vai além da disponibilização do ônibus. Quer dizer não recebem da cidade onde tocarão nem da nossa prefeitura. Então se vão tocar nos eventos religiosos, porque deve a Paróquia pagar? Não é a mesma coisa? Te garanto que ao menos um lanchinho, como disse o Anônimo, sairia. Não está de bom tamanho ara quem toca por prazer? Afinal não é uma banda profissional.

    ResponderExcluir
  23. Maria Marta, quanto a isso não há problemas: novos músicos estão sim sendo formados. E bem formados.

    Quem te falou que a Semana Santa não foi brilhante, cometeu uma mentira. Ao contrário, foi belíssima como sempre. Inclusive teve um diácono, que cantou versículos de Isaías de forma esplendorosa. Vale lembrar que seu canto foi totalmente inserido no Sermão do Encontro. Não precisou nem de acompanhamento. Sua voz, divina, foi uma verdadeira orquestra.

    Bom lembrar também que o Coral Campanhense, os músicos de Campinas (profissionais) e as "Verônicas" também fizeram da Semana Santa 2011, uma das mais contemplativas de todos os tempos.

    ResponderExcluir
  24. Pois é, muito é bonito falar, comentar, tirar opniões, falácias etc. Mas, o mais importante neste contesto é preservar a memória dos que tanto fizeram pela Coorporação Musical, Dom Inocêncio, Sr. Walter Sales... e tbm tenho a opnião de respeitar o atual Maestro Lucas, que tanto faz, que tanto se dedica, que tanto briga pela memória e pela vivetude da Coorporação. Sou suspeito em falar, mas conheço das dificuldas desta e de outras Entidades de nossa tão querida cidade. Como disse anteriormente, repito, temos que respeitar as opiões alheias, pois, não sabemos o verdadeiro porque. Sendo assim acho que devemos terminar com esta discusão, ou então junte-mos e faze-mos algo por esta egrégia Coorporação.
    Abraço a todos, Marco Antonio Amorim.

    ResponderExcluir
  25. Mas será que os músicos de Campinas (profissinais), viriam à nossa cidade, sem receber cachês?

    ResponderExcluir
  26. Aliás,porque tanta preocupação com a Corporação, se ela não fez falta alguma na Semana Santa?
    Ou será que fez?

    ResponderExcluir
  27. Marco, não é falácia. De fonte segura, sei que a Corporação só tocaria por um determinado cachê. A paróquia não tem condição. Quanto a ajuda da Prefeitura e Câmara não sei. Aliás, a Câmara não pode fazer este tipo de doação, pois seria ilegal.

    Da mesma forma que tantos defendem a Corporação, que tanto fez por Campanha, como católico também tenho o direito de opinar defendendo minha Paróquia, não? Afinal quem fez mais por Campanha que a Igreja? A própria banda em questão foi fundada pela... Diocese!

    ResponderExcluir
  28. Juliete, os musicos campineiros são profissionais, portanto vivem disso. E quem pagou não foi a Paróquia.

    Não estou preocupado com a Corporação, mas com os "amigos da cultura" que querem meter o bico num evento católico. Ainda não se deram conta que ninguém manda na Igreja. O velho sapo de fora não chia. Mesmo sendo deputado ou presidente da república. Aproveitam o acontecido para malhar a Paróquia e os padres pela não participação da Corporação. Porque então não meteram a mão no bolso e bancaram a participação da banda?

    ResponderExcluir
  29. triste por não postar minha opnião......

    ResponderExcluir
  30. Giovani, graças a Deus alguém começou, agora, basta a quem de fato continuar; quanto ao cachê, sinceramente, acho justo, como músicos, para ficar por conta do ritual, nada mais justo.
    Agora, quanto a cultura, não cabe a mim julgar.
    Fico triste da Coorporação servir de bode, não é justo, eles levam e elevam o nome de nossa cidade.; são pessoas, dignas, trabalhadoras, honestas, mas ficar horas afinco por conta e trabalhar no outro dia exige esforço; vale lembrar que, as vezes estão lá não por escolha, as vezes por compromisso. É quando falo do respeito, cabe a nós, pessoas sensatas, conduzir o diálogo para o melhor. A coorporação está na sua razão d exigir cachê e a Paróquia na sua razão de não pagar. O resultado é simples, não cabe a nós julgar este.
    Abraço Marco Antonio, Campeão da Copa do Brasil 2011.

    ResponderExcluir
  31. Fico triste por tudo isto, pois, sou amigo do Pe. Marquinho, pessoa que tenho muito apreço e respeito. Não tenho nada contra a Partóquia, pelo contrário, mas acho que a relevância do assunto foi inoportuna.
    Minha opnião mor, Marco Antonio Amorim

    ResponderExcluir
  32. Giovani, meu amigo, nada mais justo que a COORPORAÇÃO ter cachê, fica, no caso, ficaria a semana toda por conta. Niguem está falando de Lei, pois, se fossemos falar-te-á, acredito que na Lei natural da Igreja Católica, vc esrtaria fora, pois, ela fala do respeito, da tolerancia, da paz entre os povos, e vc está alimentando o contrário. Como disse antes, a Coorporação teve seu motivo, a Paróquia também, cabe a gente aproveitar de outra maneira. A mim ficou bastante claro, ambos são necessários.
    Abraço, Marco Antonio

    ResponderExcluir
  33. Marco Antônio, em nenhum momento duvidei dos méritos da Banda. Aliás, tenho muitos amigos lá. A começar pelo seu pai. Entendo e valorizo sim o esforço deles. Sei muito bem o que é trabalhar como voluntário. E louvo isso. É o mesmo que ter amigos flamenguistas e não concordar que o clube dos mulambos tenha 6 títulos nacionais. Esta posição não tira o mérito e grandeza do clube carioca e suas conquistas. Isto não significa que se não concordo com uma posição da direção da banda, que eu seja inimigo dos músicos.

    Caro amigo vascaíno e confrade de cooperativa, acho que nosso debate está saindo do foco inicial e partindo para a ofensa pessoal. A princípio estávamos de
    discutindo idéias. Nesta última postagem, você ataca minha pessoa. Gostaria que mostrasse onde fui desrespeitoso, intolerante e alimentei a discórdia.

    Exatamente o fato de ser católico é que me levou a criar este blog. Se der uma olhada, nas entrelinhas de todas as postagens, até aquelas que nada tem a ver com religião, procuro ser fiel ao ensinamento da Igreja. Podemos conversar sobre isso quando nos encontrarmos para não alongar e desviar da questão.

    O grande problema de nossos dias, é pensar que pelo motivo de ser católico, temos de ser mansos e receber porrada de todo lado. Isto não é ser católico, é ser masoquista.

    Equivoca-se em imaginar que a Igreja é contra a "guerra". Ela sendo justa, é sim defendida pela Igreja. No caso não estou criando guerra nenhuma. Apenas emiti minha opinião de acordo com os FATOS que me chegaram. Não faltei com o respeito a Corporação.

    Intolerantes são aqueles que não aceitam uma visão diferente da que defendem e partem para o pessoal. Se fosse intolerante, não teria publicado as postagens que divergem da minha posição. E não foi o que aconteceu, certo? Quando um acontecimento for usado para caluniar, denegrir, atacar, a Igreja, pode crer que usarei este meio para sair em defesa dela. Não sou obrigado a me calar. E como já disse, o espaço está aberto para quem quiser se manifestar. Só não admito postagens delirantes, sem embasamento, que possam denegrir a Igreja.

    Pedro (primeiro Papa) e João exclamaram: “Não podemos calar aquilo que ouvimos e vimos” (At 4, 20).

    (em tempo: cara, tu estás mesmo com a Coopercamp enraizada, vazando pelos poros,hem? só digita COOrporação!!! hehehe)

    Vasco da Gama - campeão da Copa do Brasil 2011 e Campeão Mundial de Futebol de Areia 2011.

    ResponderExcluir
  34. Anônimo, peço desculpas caso não tenha realmente postado sua opinião. Caso tenha acontecido, favor postar novamente que publico.

    ResponderExcluir
  35. Meu caro amigo Giovani, de forma alguma quiz atacá-lo de forma pessoal, se caso transpareceu assim, peço humildemente minhas siceras desculpas. Apenas não comungo da sua opnião no introito da postagem quanto ao "cachê", acredito que exista um pq de tudo isto.
    É claro que entendo sua opnião e mesmo não concordando à respeito.
    Estava pensando quando li sua ultima postagem e percebi que vc ficou chateado comigo,fica não Giovani, como vc mesmo já havia escrito, é apens uma divergência de opiniões, nada além disso.
    Grande abraço e saudações vascaínas.

    PS: Minha intenção era apenas discutir sobre a divergência de opniões, fora isto, mais nada.
    Parabens pelo Blog, está muito legal.
    Marco Antonio

    ResponderExcluir
  36. Eu toquei em varios eventos em campanha durante muitos anos em troca de pastel(eventos da igreja e/ou não) e nunca reclamei de nada, realmente santo de casa nao faz milagre, mas a gente bem que tentou e fez a nosssa parte, agora onde envolve dinheiro sempre dá problema, desde o primeiro dia em que ele (dinheiro) foi criado e não vai ser agora qeu nao vai dar, não é mesmo abraços

    ResponderExcluir
  37. Sávio, meu amigo, em poucas palavras mataste a charada: o dinheiro sempre gerará problemas.

    Abraço, meu caro. Obrigado por comentar no blog.

    ResponderExcluir

Faça um blogueiro feliz: comente, critique, opine, sugira.